azeite ovibeja

A organização do concurso é da responsabilidade da ACOS - Associação de Agricultores do Sul, em colaboração com a Casa do Azeite. O patrocínio é da exclusiva responsabilidade do Crédito Agrícola.

A organização recorda que as amostras devem chegar ao Secretariado do concurso, até ao dia 20 de março, “em embalagens fechadas, identificadas apenas por um código, acompanhadas dos resultados de uma análise química e de um certificado que comprove, através de análise sensorial, que a mesma é da categoria Azeite Virgem Extra”. “Podem ser apresentados a concurso azeites virgem extra provenientes de produtores individuais, de associações de produtores, de cooperativas e de empresas de embalamento devidamente registadas. Os azeites, nas categorias de Frutado Verde Intenso, Frutado Verde Médio, Frutado Verde Ligeiro e Frutado Maduro devem pertencer à campanha 2019/2020 e, por causa da diferença na época da apanha, os países do hemisfério Sul podem apresentar os azeites da campanha de 2018/2019”, frisa, ainda, a nota de imprensa enviada à nossa redação.

“Na prova final, os azeites a concurso são avaliados por um júri internacional para apurar o 1º, 2º e 3º prémios em cada categoria e menções honrosas para o 4º, 5º e 6º azeites mais pontuados”. “A entrega dos prémios vai realizar-se durante a 37ª Ovibeja que vai decorrer de 29 de abril a 3 de maio”.

“O júri do concurso conta anualmente com mais de 40 provadores, nacionais e de vários outros países produtores de azeite. O Presidente do Júri é José Gouveia, um dos mais importantes especialistas em azeites a nível mundial e professor no Instituto Superior de Agronomia de Lisboa. O Concurso, que recebe, anualmente, cerca de centena e meia de azeites, está classificado nos primeiros lugares do ranking internacional dos melhores concursos do mundo”, frisa, igualmente, a nota de imprensa da ACOS – Associação de Agricultores do Sul.


Comente esta notícia

Galeria de fotos