Troço da A26

A concentração, deste que é o 3º passeio, está marcada para as 09.00 horas, para a Rotunda de Lisboa, no que se refere às bicicletas. As motos e os automóveis reúnem-se no mesmo local, mas às 10.30 horas. A ideia é dirigirem-se depois, todos juntos, a Figueira dos Cavaleiros.

Esta é uma ação de protesto contra o atraso na abertura ao trânsito na via de 12 quilómetros da A26, concluída há mais de dois anos, mas que continua fechada ao tráfego. Apontam-se constrangimentos relacionados com a falta de “um sistema de portagem” para este encerramento “prolongado”. O troço da A26 que está fechado começa em Grândola Sul, junto ao nó da A2 e termina em Malhada Velha/Figueira dos Cavaleiros. As obras custaram 35 milhões de euros.

Recorde-se que a ideia de se fazer este tipo de ação partiu de Carlos Azedo, um professor residente na cidade de Serpa, que utiliza com regularidade o IP8 e que continua a ver, um troço de autoestrada concluído, ali mesmo ao lado e sem ser utilizado.

Carlos Azedo afirmou, à Voz da Planície na altura em que foi realizado o 1º passeio, que “esta situação é uma clara falta de respeito pelos eleitores e pelos contribuintes” e contestou o argumento dado pelo Governo porque se há um “conflito” com a concessionária já tinha que “ter sido resolvido”. Carlos Azedo garantiu que ia “repetir” este passeio, uma vez por mês, até que o troço fique disponível aos automobilistas. Já foram realizados dois passeios e neste domingo acontece o terceiro.


Foto: Carlos Amaro



Comente esta notícia

Reclama-se não só a abertura deste troço, mas o seu prolongamento até pelo menos Beja...

SEVERIANO GUEDES

20/10/2019