Policia

 No documento é feito o alerta para a importância destes serviços, no sentido de serem um “importante complemento salarial nos parcos vencimentos dos Polícias e o facto da existência de atrasos configurar um prejuízo recorrente na vida de quem os realiza”.

Ainda segundo a ASPP/PSP, os polícias não têm meios de exigir o pagamento junto das entidades, pela forma como tais contratos se encontram estabelecidos entre a PSP e as entidades requisitantes.

Das situações em atraso, desde passado mês de Maio, destaque para  entidades como o Ministério da Administração Interna, relativamente a competições desportivas, ministério da Educação, com os exames nacionais, Federação Portuguesa de Futebol e Liga das Nações.

A ASPP/ PSP afirma que desconhece os motivos desta situação e questiona se serão atrasos das próprias entidades ou inoperância da PSP, considerando no entanto que “os prejuízos são sempre dos Polícias, que realizaram tais serviços e não os receberam”.

A ASPP/PSP solicitou à Direcção Nacional da PSP que promovesse as diligências necessárias para repor a normalidade nesta situação, uma vez que, os Polícias realizaram esses serviços nas horas do seu descanso e, alguns deles, não o fizeram de forma voluntária.



Comente esta notícia