Protocolo CMB e Núcleo Atendimento À Vítima

De acordo com autarquia bejense, “a cedência desta fração municipal surge da experiência do trabalho social, desenvolvido no âmbito da intervenção e acompanhamento às vítimas de violência doméstica, em que se revelou necessário dotar o concelho com um novo instrumento que constitua um reforço complementar à estrutura de atendimento existente”.

“Esta medida”, explica a Câmara de Beja, “foi aprovada nos órgãos competentes e tem subjacente um regulamento interno, assumindo-se como uma resposta de carácter temporário e transitório, que pretende contribuir para o processo de autonomização das vítimas, proporcionando-lhes um ambiente de proteção e privacidade, que funcionará em regime de autogestão, com o devido acompanhamento de ambas as entidades.

Ainda segundo a autarquia, “conscientes de que o combate à violência doméstica constitui uma causa que deve ser abraçada por todos, enquanto município socialmente responsável, e envolvido nestas matérias, a Câmara Municipal de Beja pretende contribuir positivamente para minimizar os riscos associados a este flagelo”.


Comente esta notícia

Galeria de fotos