CIMBAL

“No âmbito do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial (PDCT) gerido pela CIMBAL e que materializa as estratégias territorializadas de gestão de fundos, destinados a financiar projetos de escala municipal e intermunicipal, a evolução no último trimestre foi muito positiva, fechando o ano com uma taxa de execução de 18%, superando o previsto.”

No Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E), destaca-se a elevada taxa de execução, refere, também, a CIMBAL. Neste contexto explica que “os valores pagos aos promotores já ultrapassam os 1,7 milhões de euros, de um total de quase 3,8 milhões de euros de fundos comunitários aprovados” e que “este valor revela um contributo assinalável para o estímulo às micro e pequenas empresas do Baixo Alentejo, com reflexo positivo na criação de postos de trabalho e promoção de condições para fixação de população na nossa região”.

A nota de imprensa termina relevando, igualmente, o facto, da “execução dos municípios do Baixo Alentejo nos Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano (PEDU’s), instrumento que se destina a financiar projetos de mobilidade urbana sustentável e regeneração urbana, no âmbito do Alentejo 2020” ultrapassar “os 32%”, “duplicando a média global dos PEDU’s do Alentejo”. Recorde-se que foram beneficiados os municípios de Aljustrel, Beja, Castro Verde, Moura e Serpa.


Comente esta notícia