covid19

Nos Bombeiros Voluntários de Beja há 12 testes positivos e Rodeia Machado, presidente da Direção, avançou que “ainda há resultados para saber, nomeadamente dos 50 testes feitos no passado sábado, dia 16, e mais outros tantos para fazer no próximo, dia 23, estes pela saúde pública”. Rodeia Machado garante que “as situações estão todas identificadas e controladas, mas fez questão de dizer que apesar de estar a ser implementado o Plano de Contingência, não foi possível contar com a saúde pública atempadamente e que foi a Câmara Municipal quem possibilitou a realização dos testes iniciais”. Clarificou, também, que “o surto nos Bombeiros veio da comunidade e não do trabalho de transporte de doentes”.

“Neste momento há apenas 8 bombeiros ao serviço e a assegurar urgências e emergências”, revelou Rodeia Machado. “Um esforço acrescido para estes homens”, frisou, garantindo que “é possível deixar a comunidade ciente de que o trabalho dos soldados da paz continua a ser feito, no apoio à população”.

Em Salvada, no Lar da Fundação Joaquim Honório Raposo, todos os utentes, 11, testaram positivo e há 8, dos 20 funcionários, infetados. Palmira Fernandes, diretora técnica do Lar, explicou onde o surto começou, revelando que “houve uma utente, que morreu no passado dia 11, no Hospital de Beja, com teste positivo à Covid-19” e que “foi esta a situação que deu início ao que se está a passar”.

Palmira Fernandes esclareceu, igualmente, que “o Plano de Contingência foi acionado” e que “o Lar tem contado com o apoio de todas as entidades, assim como dos familiares, para ultrapassar esta questão”. Palmira Fernandes deixou claro, ainda, que “os idosos não apresentam sintomas”, que “a situação está calma” e que ela, diretora técnica, “apesar de ter testado negativo”, está “confinada no Lar, a acompanhar a situação, ao todo são 4 pessoas que estão a dar apoio aos utentes, até que se resolva”. Palmira Fernandes deixou palavras de esperança e diz acreditar que “tudo passará depressa”.

Recorde-se que o Hospital de Beja está no limite e a enfrentar dias difíceis, tal como ouvimos o diretor clínico José Aníbal referir durante o passado fim de semana. A ULSBA informou, tal como a Voz da Planície avançou no passado dia 15, que perante “novo cenário de ocupação plena, no dia 14” deste mês foi possível “aumentar o número de camas em internamento Covid em 10, o que significa que, à data, totalizamos 46 camas disponíveis, sendo esta a capacidade de internamento em enfermaria para doentes Covid-19 no Hospital de Beja”.

No distrito, para além do concelho de Beja com 559 casos ativos há mais a passar por situações difíceis. Cuba tem 230 casos ativos, Moura 175, Almodôvar 112, Mértola 101, Serpa 92, Ourique 81, Ferreira 77, Aljustrel 43, Vidigueira 27 e Barrancos 23.


Comente esta notícia