DRA do PCP

Segundo os comunistas os incomportáveis níveis de desemprego mantêm-se, os apoios sociais diminuem, a fome e a pobreza crescem, o despovoamento desta vasta região prossegue, como é confirmado pelos recentes dados sobre o recenseamento eleitoral, todas as sub-regiões perdem eleitores, e os serviços públicos degradam-se apesar do esforço dos seus profissionais.

Miguel Madeira, da DRA do PCP, afirma que as críticas que têm surgido não são apenas dos comunistas e aponta também o dedo ao Governo que anda numa autêntica propaganda a propósito dos fundos comunitários acenando com "milhões".

A DRA salienta ainda que o anúncio da construção da linha ferroviária de bitola Europeia entre Sines e Espanha e a movimentação de máquinas no IP2 não podem esconder o desmantelamento e não modernização da rede ferroviária, a manutenção da degradação da rede rodoviária como a paragem das obras no IP2 e IP8, a não realização de obras no IC1 e a não conclusão do IC13 demonstram.

Ainda segundo, Miguel Madeira para além das críticas é importante salientar que a região tem potencialidades que devem ser aproveitadas e recorda o Plano Imediato de Intervenção Económica e Social para o Alentejo apresentado pelo PCP e aponta a luta como o caminho a seguir com destaque para uma acção nacional marcada para o dia 6 de Junho, em Lisboa.

Uma acção sob o lema " "A Força do Povo / Todos à rua por um Portugal com Futuro".


Comente esta notícia