Castro Verde

O Pau-Roxo ou cenoura roxa, foi em tempos muito apreciado como petisco nas tabernas da região, onde era comido cru às rodelas ou cozido e temperado com vinagre.

Esta iniciativa que, inclui uma conversa e uma mostra gastronómica, tem como objectivo contrariar o desaparecimento da "cenoura roxa" e sensibilizar a população para a importância e riqueza nutricional deste vegetal, motivando o seu cultivo.

A conversa vai contar com as presenças de Frederica Teixeira e Maria Bernardes, da Associação "Círculos de Sementes" que vão falar sobre a importância da preservação dos hortícolas tradicionais e João Vaz, chefe de cozinha, sobre "Cozinhar com pau-Roxo:algumas experiências e várias dicas".

Segue-se a mostra gastronómica de pratos cozinhados, salgados ou doces, tendo por base o pau-roxo.

Este evento surge no dia em que se revive mais uma Feira de S. Sebastião/ Feira do Pau Roxo, o caminho que se estende até à Ermida de S. Sebastião enche-se de bancas, vendedores e fregueses. Roupas, sapatos, chocalhos, coleiras para o gado, árvores de fruto, produtos hortícolas, queijos e enchidos são alguns exemplos do que se pode encontrar nesta primeira feira do ano, e uma das últimas de tradição medieval.




Comente esta notícia