CPPME

No documento enviado à nossa redacção, aquela Confederação afirma que o Acordo de Parceria 2014-2020 apresentado em Bruxelas prevê, no Objectivo Temático 3, uma verba de 6 200 milhões de euros, cerca de 25% do total dos Fundos, para as Micro Pequenas e Médias Empresas e que o Governo prepara-se para desviar parte da mesma para as grandes empresas.

A Confederação diz ainda, que face ao perigo real de, mais uma vez, os fundos comunitários virem a ser desviados para os mesmos de sempre, reitera a sua proposta, recordando que a mesma, passa pela criação, entre outros aspectos, de uma Secretaria de Estado ou de um Instituto para tratar com as Micro e Pequenas Empresas, alegando que o IAPMEI não tem conseguido desempenhar esse papel.

A CPPME considera ainda que, enquanto não estiverem definidos os critérios, os regulamentos e fundamentalmente a estratégia de aplicação dos fundos comunitários 2014-2020, seria prudente que o Governo não anunciasse medidas avulsas e exige ser ouvida na definição dos critérios de aplicação dos montantes destinados às MPME - Micro Pequenas e Médias Empresas.


Comente esta notícia