Poupança

A ideia de criar uma data especial para promover a noção de poupança surgiu em Outubro de 1924, durante o primeiro Congresso Internacional de Economia, em Milão. Todos os anos são organizadas diferentes atividades neste dia.

Nesta data deixamos alguns conselhos para melhorar a sua saúde financeira, sugeridos pela Deco:

"Toda a família, incluindo as crianças, devem participar na decisão sobre as verdadeiras necessidades de consumo de casa. Registe e calcula todos os rendimentos. Depois é simples: subtraí as despesas aos rendimentos e o saldo deve ser positivo.

Toda a família, no dia a dia, tem de começar a gastar menos. Com gestos simples e cuidadosos em casa podes reduzir as faturas do gás, da eletricidade e da água, desligando as luzes e os aparelhos em modo de espera, utilizando as máquinas de lavar com as cargas máximas e temperaturas baixas, fechando as torneiras, etc.

Reduza também os gastos com as comunicações: TV, internet, telemóvel, telefone, e procura os tarifários mais adequados a todos vós.

Utilize mais os transportes públicos ou ande a pé e reduzirá no combustível. Reduzirá também as despesas domésticas com a diminuição dos desperdícios alimentares.

Planeia as refeições semanais, fazendo uma lista de compras e olhando para a despensa e para o frigorífico. Nas compras verifique os preços e compare os produtos. As marcas brancas podem ser uma opção interessante. Deve ser fiel à lista e evitar compras supérfluas.

Para reduzir os gastos pode sempre levar o seu almoço e preparar as refeições dos filhos em casa para levar para a escola. 

Assim, com uma boa gestão do orçamento mensal, deve conseguir poupar, mesmo que seja poucos euros. Uma poupança regular pode permitir constituir um fundo de emergência para imprevistos, que possam acarretar o aumento das despesas ou a redução do rendimento, como por exemplo uma doença, uma situação de desemprego, cortes salariais...

Uma poupança pode ter também como objetivo planear a compra de um bem ou serviço, como por exemplo a compra de um carro ou o financiamento dos estudos. 

Com uma gestão do orçamento responsável, deve destinar uma parte da poupança à constituição de um complemento de reforma, procurando um investimento seguro."


Comente esta notícia