FORTES

A informação é dada, em nota de imprensa, pela Plataforma “Problema Ambiental de Fortes”. Recorde-se que a CCDRAlentejo tinha aplicado à unidade três contra ordenações graves, nomeadamente uma por atraso na entrega de relatório de auto controlo e mais duas por emissões, nas chaminés da fábrica, fora dos limites da lei uma situação que levou, em finais de Maio, ao pedido de suspensão da laboração.

O pedido foi apreciado pelo IAPMEI, entidade a quem competia dar o parecer final sobre esta matéria, um parecer que agora é conhecido e que dita o encerramento da unidade de transformação por um período de 6 meses.

Fátima Mourão, da Plataforma “Problema Ambiental de Fortes”, afirma que a decisão do IAPMEI dá razão às preocupações da população e aquilo que, agora, se espera é que na altura em que a Unidade começar, novamente a laborar, tenha feito as adaptações exigidas pelas entidades competentes.










Comente esta notícia