mãos jovens

Durante duas semanas, 15 finalistas, de 17 a 23 anos, de nacionalidade belga, mas representantes dos seus países de origem - Angola, Burundi, Camarões, Gabão, Guiné, Quénia, Congo-Brazzaville, República Democrática do Congo (Kinshasa), Ruanda e Senegal, são acompanhadas por oito membros do comité, seis membros da organização e oito crianças da associação Safari des Anges.

O concurso Miss África Belgium é organizado pela Associação "Safari des Anges", que tem como objetivo ajudar crianças necessitadas tanto na Bélgica como em África. Para o efeito, promove atividades relacionadas com a cultura, o lazer, a aprendizagem de línguas africanas, visitas e passeios culturais, criando assim espaços de reflexão e de descontração que, segundo acreditam, possam melhorar as relações norte-sul, bem com proporcionar a integração da mulher africana na Europa. Os fundos recolhidos neste concurso destinam-se, igualmente, a financiar uma escola primária para crianças invisuais e órfãs em África.

Nesta estada em Aljustrel, as jovens participam em ateliers de dança e de coreografia, desfile em palco e tomada da palavra em público, entre outras atividades. Além do estágio, fazem ainda parte do programa visitas culturais a Lisboa e Algarve, bem como a participação no Aljustrel Moda Jovem, no dia 13 de julho, no anfiteatro das Piscinas Municipais.

Os organizadores querem proporcionar às concorrentes uma aprendizagem cultural que não se limite aos seus países (Bélgica-África). Razão pela qual desde há quatro anos, já realizaram este estágio em Marrocos e Espanha (Girona e Barcelona).

A escolha de Aljustrel surgiu por sugestão de um lusodescendente aljustrelense, residente na Bélgica, e após contactos posteriores por parte de um dos organizadores, que também recomendou esta vila devido à qualidade dos seus equipamentos culturais e desportivos, à sua hospitalidade e beleza do local.

O concurso tem, ainda, como intuito mostrar às jovens concorrentes a realidade de Portugal, país que, segundo dizem os organizadores, tem conseguido manter o seu charme, hospitalidade e atrativos lendários, apesar da enorme crise que o tem assolado. Além disso, querem proporcionar momentos de partilha e de divulgação do concurso junto dos portugueses para que possam descobrir a Bélgica e os outros países do continente africano.

A vencedora do concurso terá como missão transmitir uma mensagem positiva de partilha, de fraternidade, de multiculturalismo, de paz e de solidariedade entre os povos, num contexto económico, político e social bastante difícil tanto na Europa como em África.



Comente esta notícia