Legislativas 2019

No distrito de Beja, a força política vencedora nas legislativas 2019 voltou a ser o PS, com 26,161 votos, 40,7%, ganhando nos 14 concelhos.

A CDU foi a segunda força política mais votada, com 14.655 votos, 22,8%, seguiu-se o PSD com 8.544 votos, 13,3% e o BE 5.833 votos, 9,1%. O CDS/PP obteve 1.480 votos, 2,3%.

Comparativamente com 2015, PS, CDU, PSD, BE e CDS/PP perderam votos no distrito de Beja.

Estes resultados no círculo eleitoral de Beja, em que são eleitos apenas três, deputados, significam dois deputados para o PS, ou seja vão para o Parlamento Pedro do Carmo e Telma Guerreiro e um para a CDU, com João Dias a assumir um mandato de quatro anos.

De salientar ainda que no distrito de Beja, a abstenção que chegou aos 43,21% em 2015 subiu para os 47.7% em 2019.

No rescaldo da noite eleitoral, Pedro do Carmo, o presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, referiu que esta foi uma vitória histórica, recordando que os dois deputados foram perdidos em 2011. Pedro do Carmo mostrou-se muito satisfeito com este resultado porque os socialistas conseguiram o objetivo traçado para este ato eleitoral, a eleição dos dois deputados por Beja:

Miguel Violante, da Direção da Organização Regional de Beja (DORBE) do PCP, agradeceu aos milhares de eleitores que votaram na CDU. Acrescentou que a abstenção teve um peso grande neste resultado, tal como a perda de eleitores no distrito. Miguel Violante frisou, ainda, que foi mantido o deputado João Dias e que o mesmo vai continuar a lutar, de forma intransigente, pelos interesses da população e do distrito:

Gonçalo Valente, presidente da Distrital de Beja do PSD, assumiu a derrota do seu partido no distrito, por não se ter conseguido manter o deputado. Gonçalo Valente diz esperar agora que os dois deputados trabalhem em defesa do distrito e que não sejam subservientes ao Governo:

A nível nacional, a força política vencedora foi o PS que obteve 36,65%, mas sem maioria absoluta, ficou com 106 deputados, quando necessitava de 116. O PSD ficou em segundo lugar, com 27,90% e77 deputados. O BE teve 9,67% e elegeu 19 deputados. A CDU que em 2015 ficou com 17 deputados passou, em 2019, para 12 obtendo 6,46% da votação.

O CDS/PP elegeu apenas 5 deputados, com 4,25% dos votos e Assunção Cristas anunciou a sua demissão da liderança do partido, no rescaldo da noite eleitoral. O PAN teve 3,28% e elegeu 4 deputados. O Livre, a Iniciativa Liberal e o Chega conseguiram cada um eleger 1 deputado.

Falta apurar a distribuição dos 4 deputados pelos círculos da emigração.

Os resultados das legislativas 2019 revelaram que os portugueses participaram e que não quiseram ditar uma maioria absoluta a nenhum grupo parlamentar. Cabe agora ao presidente da República convidar, como determina a Constituição, a formar Governo o partido mais votado, neste caso o Partido Socialista.







Comente esta notícia