Luís Dargent

O líder da Distrital de Beja do CDS-PP recordou que, no que se refere a acessibilidades e a outros projetos estruturantes, nada andou em 2019, daí afirmar que foi um ano de “mais do mesmo” e de “oportunidades perdidas”. Luís Dargent considera que têm sido os grandes investimentos na agricultura que têm dado vida à região, com agricultores e empresários a fazerem bem o seu trabalho. Acrescentou que, e de acordo com as suas palavras, a atividade “governamental e autárquica está pelas portas da morte”.

Luís Dargent deixa, igualmente, as suas perspetivas para 2020. O presidente da Distrital de Beja do CDS-PP frisa que, “tendo em atenção tratar-se de um Governo PS” nos comandos da nação, “que já se livrou da geringonça”, não vê “perspetivas” para a região durante o próximo ano.

Luís Dargent deixa contudo, uma palavra de esperança, dizendo acreditar nas mudanças a nível mundial, especialmente nas questões das alterações climáticas. Revelou que “a Europa ocupa 15% do território do Mundo”, que “tem uma contribuição de 10% de impactos negativos ao nível das alterações climáticas e uma contribuição social de 50%, a nível mundial, ou seja está no bom caminho”. Rumo que, Luís Dargent acredita que “o resto dos países possa trilhar nos próximos tempos, deixando um melhor mundo aos nossos filhos e melhores filhos ao Mundo.”


Comente esta notícia