EDIFÍCIO DO COMANDO TERRITORIAL DE BEJA DA GNR

Instalações, viaturas e pessoal. Foram estas as preocupações deixadas pelo coronel Garrido Gomes, comandante do Comando Territorial de Beja da GNR na cerimónia realizada ontem de comemoração dos quatro anos deste comando e dos 102 anos da presença da GNR em Beja.

Em relação à reabilitação dos quartéis, as situações são díspares nos 35 postos do distrito, sendo que das oito instalações que estão em más condições, as piores são as de Beja. O edifício de Beja é o que requere maiores investimentos, maiores cuidados, sendo que as obras só são, à partida, possíveis através de candidaturas a fundos comunitários. O coronel Garrido Gomes diz que há uma verba destinada à reabilitação das instalações das forças de segurança. Os municípios estão sensíveis a esta questão, mas os constrangimentos da Lei dos Compromissos é uma das situações que tem dificultado a sua concretização. 

O coronel Garrido Gomes, dirigindo-se aos representantes políticos presentes na cerimónia, designadamente o presidente da Câmara de Beja e os três deputados na Assembleia da República eleitos pelo distrito, Mário Simões (PSD), Pita Ameixa (PS) e João Ramos (PCP), disse que por inércia ou por falta de vontade, não tem sido dado, ao longo dos anos, o devido relevo à criação de condições, nomeadamente, relativamente à reabilitação das instalações, conforme confirmado à nossa estação.

Ainda sobre as instalações da cidade, disse que em 2010 o Município de Beja deixou de pagar a renda do edifício à Diocese, situação que foi torneada por via de um contrato de arrendamento entre a GNR e a Diocese que já está elaborado e que vai ser assinado com data a contar a partir do dia do aniversário desta força de segurança.

No que diz respeito às viaturas é necessário aumentar a frota sendo que das que existem actualmente estão operacionais cerca de 83 por cento. Em relação aos meios humanos, o coronel Garrido Gomes frisou que não são tão poucos como isso. A resolução do problema seria resolvida com o reajustamento do dispositivo porque os guardas devem é andar na rua a patrulhar em vez de estarem nos postos.

Na cerimónia, presidida pelo major general Rui Fernando Batista Moura, o comandante do comando territorial de Beja recebeu a condecoração por comportamento exemplar com medalha ouro.  


Comente esta notícia