FUNERAL CASTRO E BRITO

Marcelo Revelo de Sousa recordou a luta de Castro e Brito pela agricultura, e agricultores, a sua forma de ser e avançou que vai estar na Ovibeja deste ano para homenagear Castro e Brito.

Marcelo Rebelo de Sousa fez ainda, referência ao número largo de pessoas que marcou presença no funeral de Castro e Brito, dizendo que era um homem cujo reconhecimento ultrapassou em muito as fronteiras do Alentejo.

Manuel Castro e Brito faleceu vítima de doença súbita e a despedida do agricultor e também, presidente da FAABA, que nasceu a 25 de Setembro de 1950, foi realizada nesta quarta-feira, às 12.15 horas.

Manuel Castro e Brito, natural de Beja, casado, morava na Quinta de S. Tiago, em Baleizão, possuía como habilitações literárias o 5º ano da Escola de Regentes Agrícolas de Santarém, 1976, era agricultor desde 1974 e presidente da Direcção da ACOS - Associação de Agricultores do Sul e da Comissão Organizadora da OVIBEJA desde 1989.

Entre 1990/1998 foi perito do COPA/COGECA - Comité das Organizações Profissionais Agrícolas da Comunidade Europeia/Comité Geral da Cooperação Agrícola da Comunidade Europeia, para o sector da carne dos ovinos e caprinos e entre 1997/1998 vice-presidente da CAP - Confederação dos Agricultores de Portugal.

Em 2003 recebeu a Medalha de Mérito Municipal (Grau Prata), atribuída pela Assembleia Municipal de Beja, entre 2004/2013 foi vogal da Mesa Administrativa da Santa Casa da Misericórdia de Beja, tornou-se em 2004, presidente da FAABA - Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo; em 2005 Comendador com o grau de Mérito Agrícola, Comercial e Industrial - Classe Mérito Agrícola; entre 2007/2011 foi membro da Direção da AIP - Associação Industrial Portuguesa e entre 2011/ 2014, membro do Conselho Geral da AIP-CCI - Associação Industrial Portuguesa - Câmara de Comércio e Indústria.


Comente esta notícia