URNA DE VOTOS IMAGEM
Com o aproximar das eleições autárquicas sucedem-se os apelos ao voto temendo os níveis que a abstenção pode alcançar, em 2009 cerca de 40% do eleitorado não exerceu esse dever cívico.
Mário Simões, presidente da Distrital de Beja do PSD, afirma que ninguém se deve alhear da vida politica embora o voto ideológico não tenha o mesmo peso nestas eleições porque em causa está o poder local.

Miguel Madeira, da DORBE do PCP, diz que o seu apelo ao voto resulta da campanha eleitoral realizada e que os resultados das autárquicas estão nas "mãos" das populações.

Pedro do Carmo, presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, embora reconheça que existe, por parte das pessoas, um sentimento de desilusão com os partidos é preciso ter em conta que em causa estão as eleições autárquicas.

No último dia de campanha eleitoral para as autárquicas de 29 de Setembro, o habitual comentador da Voz da Planície Carlos Pereira antecipa aquilo que poderão ser os resultados do próximo domingo no distrito de Beja.


Opinião...  Carlos Lopes Pereira

Incerteza

Incerteza. Se há palavra que possa resumir as previsões dos resultados das eleições autárquicas de 29 de Setembro no distrito de Beja é essa - incerteza.

Deixando de fora Odemira (pertence ao Litoral Alentejano e à respectiva comunidade intermunicipal), existem hoje, num total de 13 concelhos, seis municípios de maioria CDU, seis de maioria PS e um de maioria PSD.

O que vai mudar no próximo domingo, tanto quanto é possível prever?

Desde logo, o PSD pode ficar sem qualquer câmara no distrito. Almodôvar deve tornar-se "independente" (com a vitória da lista onde pontifica o anterior presidente António Sebastião) ou passar a cor-de-rosa. Mas é uma quase certeza: Almodôvar deixará de ser PSD.

Em relação às câmaras actualmente de maioria PS:

- Ferreira do Alentejo e Ourique deverão manter-se socialistas;

- Beja e Cuba vão provavelmente ser perdidas para a CDU;

- Em Mértola e, sobretudo, Aljustrel, o PS enfrenta uma forte concorrência da CDU. Se houvesse sondagens - não são conhecidas - a diferença entre as duas forças seria inferior à margem de erro...

Quanto à CDU:

- Os dirigentes da coligação entre comunistas e outros democratas estabeleceram como objectivos eleitorais manter as seis câmaras ganhas em 2009 e juntar-lhe mais duas ou três. Assim, manteriam Castro Verde, Vidigueira, Alvito, Serpa, Moura e Barrancos e reconquistariam Beja e Cuba, estando na luta pela vitória em Aljustrel (onde a unidade da CDU deu novo dinamismo aos seus apoiantes) e Mértola.

Uma nota especial sobre Beja, a capital do distrito.

O estado-maior da candidatura de Pulido Valente dá Beja como eleitoralmente perdida, o que confirma as previsões de conhecidos comentadores nacionais. A ideia que prevalece localmente é a de que o PSD está a fazer uma boa campanha, o que pode favorecer a candidatura da CDU, garantindo uma vitória de João Rocha.

Em suma, a CDU aparece como o provável vencedor das eleições autárquicas do dia 29 no distrito de Beja.

Mas não há certezas, as vitórias serão tangenciais na maior parte dos concelhos e o factor nacional do chamado "voto de indignação" (Seguro já fez o apelo nesse sentido) pode influenciar um eleitorado farto de Passos e Portas mas com fraca memória. Castigar o PSD recompensando o PS seria surreal, mas pode acontecer...

Se houver justiça nestas eleições, é claro que os eleitores devem punir nas urnas todos os responsáveis pelas dificuldades impostas aos trabalhadores e ao povo - o PSD, o PP e também o PS, a tríade nacional que chamou a troika estrangeira - e, ao mesmo tempo, recompensar os que lutam contra a "austeridade" e o empobrecimento do País. Que são aqueles que, no Poder Local democrático, dão garantias de trabalho, competência e honestidade.


Comente esta notícia