Deputado João Dias Parlamento

O deputado do PCP frisou que “os transportes públicos já eram deficitários no distrito antes da pandemia” e que “esta situação agravou ainda mais a prestação deste serviço”. Acrescentou que “faltam respostas” e que o PCP “defende que as que existiam antes devem ser repostas e com menos custos para os utilizadores”.

“Esta é uma realidade que se repete em todo o país e o PCP vai defender uma tarifa única para todos. O OE para 2021 tem 15 milhões de euros para o serviço público de transporte de passageiros e não é suficiente. Por isso mesmo, o PCP pediu para esta verba ser aumentada, em sede de Orçamento do Estado para 2021, para 40 milhões”. As declarações são também de João Dias.

“No caso do distrito de Beja, a CIMBAL tem o concurso praticamente terminado e vai voltar a ser a Rodoviária do Alentejo a dar resposta a um serviço” que, na opinião de João Dias, “vai continuar a ser deficitário”. Neste caso dá mesmo exemplos de concelhos onde o serviço é praticamente inexistente nas ligações à capital de distrito e vice versa.

No balanço deste encontro, João Dias deixou claro que “o PCP defende que a oferta de serviço público de transporte de passageiros tem que ser aumentada, que os custos do utilizador devem diminuir” e que o seu partido vai “propor a gratuitidade até ao 18 anos e a redução de 50% do valor para os maiores de 65 anos”.


Comente esta notícia