lápis e borracha
Na última reunião da Comissão Dinamizadora do Movimento "Por Beja com Todos" foi aprovado um documento onde é manifestada preocupação com a situação de alunos com necessidades educativas especiais.

Segundo o Movimento nos mega agrupamentos escolares de Beja ainda não foram colocados alguns professores de ensino especial, nem os terapeutas de várias áreas, nem os assistentes operacionais necessários ao enquadramento técnico adequado e que algumas escolas referem só ter sido possível receber os alunos graças ao empenho que os professores e os assistentes operacionais vêm dedicando a estes alunos. Ainda assim, o Movimento considera que está seriamente comprometida a qualidade do apoio se as actuais condições se mantiverem e que há casos de alunos que ainda não começaram o ano lectivo e se encontram em casa.

Lopes Guerreiro, do Movimento "Por Beja com todos dá voz ao protesto. Ainda segundo Lopes Guerreiro esta é uma situação muito complicada para os alunos que requerem necessidades educativas especiais.

O Movimento recorda que a inclusão é um direito que está consagrado na Constituição e, por isso, decidiu interpelar as entidades competentes sobre o atraso significativo do início do ano lectivo para os alunos com necessidades educativas especiais, assim como, solidarizar-se e apelar à solidarização de todos para com os pais dos alunos com necessidades educativas especiais. Na reunião foi ainda decidido interpelar a Câmara Municipal de Beja no sentido de exigir o cumprimento dos apoios adequados.


Comente esta notícia