AR sindicatos

No Decreto-lei nº36/2019 está contemplada a recuperação de 2 anos, 9 meses e 18 dias do tempo de serviço congelado aos professores, os sindicatos não concordam e continuam a reivindicar os 9 anos, 4 meses e 2 dias.

Neste dia, em que são discutidas as alterações ao decreto-lei os sindicatos “convidam” os professores a marcar presença na Assembleia da República, para que de “viva voz” façam sentir o seu protesto.

Manuel Nobre, presidente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, espera que a discussão de hoje na Assembleia da República seja profícua e relembra que na Madeira e nos Açores foi recuperado, na integra o tempo de serviço congelado aos professores.

Ainda segundo, Manuel Nobre os professores estão determinados e empenhados em lutar por aquilo que é seu por “direito” e garante que aquilo que sair da discussão de hoje pode levar, ou não, a formas de protesto no 3º período lectivo.








Comente esta notícia