Gonçalo Valente

“Fruto do desinvestimento, da ausência de políticas de contratação e de ideias arrojadas, à imagem do que outros conselhos de administração têm conseguido fazer, o Hospital de Beja sofre uma grave crise que, pode ser acentuada se não houver um planeamento e um trabalho complementar entre o Hospital de Beja e o há muito anunciado Hospital central de Évora”, afirma Gonçalo Valente. O, ainda, presidente da Distrital Laranja, diz mesmo que há “enorme preocupação com a contratação de médicos pagos à hora para garantir o serviço de urgência, não sendo estes médicos especialistas” e “um problema acessório que se prende com uma maior probabilidade de risco e consequentemente de erro”.

“Enquanto o Conselho de Administração (CA) da ULSBA, não assumir que há um gritante desinvestimento, que há problemas graves e uma notável subserviência ao Governo Socialista, que se manifesta na redução e na degradação de serviços, muito dificilmente a situação débil em que se encontra pode ser invertida, acelerando o caos que muito previsivelmente vai chegar a curto prazo”, refere, igualmente, Gonçalo Valente, pedindo a Conceição Margalha que se “concentre-se nas suas competências” e que “deixe a política para os políticos”.

Declarações do presidente da Distrital de Beja do PSD, fazendo o balanço da reunião que realizou com o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e revelando que estas posições vão constar do relatório que vai ser enviado para a Comissão Política Nacional social-democrata. A Voz da Planície quis ouvir a presidente do Conselho de Administração sobre estas acusações, mas Conceição Margalha decidiu não tecer quaisquer comentários.

A Distrital de Beja social-democrata fez saber, igualmente, que recebe nesta terça-feira, a visita da comissão parlamentar da agricultura do PSD ao distrito, liderada por Emília Cerqueira. A iniciativa consiste numa visita a uma exploração agrícola em regime de sequeiro, a uma exploração em regime de regadio e numa reunião com várias associações de agricultores do Concelho de Beja. O objetivo, segundo Gonçalo Valente, “é recolher as principais preocupações do mundo rural, através dos agricultores e das próprias associações do sector, pois quanto maior for o conhecimento do terreno, melhor será o trabalho desenvolvido pelos deputados”.


Comente esta notícia