rede europeia anti pobreza
Uma iniciativa que vai contar com a presença de vários especialistas nacionais e internacionais, que vão centrar atenções desde o tema da pobreza no distrito de Beja às respostas sociais de inovação social.

Vai ser feita uma reflexão multidimensional e interdisciplinar sobre a situação actual em particular no Baixo Alentejo, de onde se realça o fenómeno social da pobreza na cidade de Beja e as respostas às situações de pobreza pela Cáritas Diocesana de Beja.

Na base da discussão vão estar os dados preliminares da "Fotografia à la minute" documento de caracterização do Baixo Alentejo, que evidencia indicadores socioeconómicos bastante preocupantes. Pretende-se de igual modo compreender processos de mudança em curso na região, principais ameaças e oportunidades.

Durante a tarde vão ser apresentadas respostas concretas e de sucesso adoptadas em outros Países no combate à crise e à pobreza.

Segundo um comunicado do Núcleo de Beja da Rede Europeia Anti-Pobreza a crueldade dos números fala por si, sendo um dos maiores dramas na região a baixa natalidade e o envelhecimento das populações, constata-se um aumento do índice de envelhecimento em praticamente todos os concelhos do Baixo Alentejo, com destaque para Mértola e Ourique com índices de 377,9% e 319,8% respectivamente. Ainda de acordo com o documento existe uma forte assimetria de dados entre concelhos, decorrentes da concentração de serviços e pessoas em concelhos como Beja, da oferta bem remunerada de emprego decorrente da actividade mineira no concelho de Castro Verde, ou ainda da actividade económica associada a destino turístico de férias de concelhos do Litoral Alentejano como Odemira, que fazem com que estes concelhos apresentem indicadores mais positivos em detrimento de concelhos como Barrancos, Alvito ou Mértola, entre outros, que apresentam dados perfeitamente preocupantes.


Comente esta notícia