A sessão conta com as participações de João Rocha, presidente da Câmara Municipal de Beja e de Alexandre Leal, diretor técnico da Empresa Municipal de Água e Saneamento de Beja. A presidente da Junta de Freguesia de Salvador e Santa Maria da Feira também estará presente nesta sessão.

Alexandre Leal, diretor técnico da EMAS de Beja, referiu que nesta sessão se vai explicar às pessoas que tipo de intervenção vai ser realizada, assim como os constrangimentos que vão condicionar o dia-a-dia dos moradores.

A obra tem um custo estimado de 300 mil euros, valor que a EMAS espera poder vir a candidatar a apoios comunitários, está prevista começar em março, embora a data ainda não esteja definida e tem um período de duração de 6 meses, devendo ficar concluída no final de maio, princípio de junho, avançou, igualmente, à Voz da Planície Alexandre Leal.


Comente esta notícia