PROJETO LEAVES

O projeto LEAVES “pretende, através de um programa on-line de luto, impedir o luto prolongado, ou tratá-lo, para que as pessoas mais velhas em luto possam levar uma vida ativa, significativa e digna.”

Ana Matos Pires, diretora do Serviço de Psiquiatria da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), esclarece que "os países que integram o consórcio são a Holanda, a Suíça e Portugal e que a ULSBA é a única entidade clínica nacional a participar". Acrescenta que "o serviço LEAVES suaviza o processo de luto, evita a depressão ou o isolamento social, fortalece a resiliência e o bem-estar da pessoa viúva e acelera o retorno à participação da sociedade". Ana Matos Pires refere, ainda, que "este é um projeto para implementar em três anos".

"O LEAVES é fechado e obedece a determinadas regras", referiu, ainda Ana Matos Pires, avançando que “nesta fase inicial vai ser feito um recrutamento para a integração neste projeto” e esclarecendo como.


Resumo do Projeto:

"A perda de um cônjuge é uma ocorrência frequente nos últimos estádios da vida. Enquanto a maioria dos idosos processa essa perda com sucesso e retorna à vida normal, uma proporção significativa (25,4%) é incapaz de o fazer, por isso, acabam por sofrer de luto prolongado, uma condição em que os sintomas do luto ocorrem mais de 6 meses após a perda e que podem resultar em problemas mentais e físicos, como má qualidade do sono, problemas cardiovasculares, depressão, solidão e tendências suicidas.

A fim de impedir o luto prolongado, ou tratá-lo, para que as pessoas mais velhas em luto possam levar uma vida ativa, significativa e digna, desenvolveremos um programa on-line de luto: LEAVES.

O LEAVES atende a utilizadores finais secundários (familiares, cuidadores informais), reduzindo o stress. Adultos mais velhos, cuidadores informais e profissionais de saúde relevantes (total n = 110), juntamente com a equipa do projeto, desenvolverão o modelo de serviço LEAVES e, através do design e desenvolvimento iterativos, otimizarão sua usabilidade e a experiência do utilizador." 


Comente esta notícia