Vestigios Arqueológicos

A Câmara de Castro Verde, proprietária da obra, convidou o arqueólogo e historiador Manuel Maia para constituir e coordenar a equipa que, desde há cerca de duas semanas, está a trabalhar no local. Este processo decorre no âmbito de uma parceria estabelecida com a CORTIÇOL – Cooperativa de Informação e Cultural de Castro Verde que disponibilizou os técnicos do Museu da Lucerna para trabalhar nesta investigação.

Devidamente supervisionadas pela Direção Regional de Cultura do Alentejo, as investigações decorrem neste momento com a maior normalidade e, em termos gerais, não têm impedido a evolução da obra do Centro de Viola Campaniça, embora devam ser consideradas as condicionantes inerentes a um processo com estas caraterísticas, frisa ainda, a Câmara de Castro Verde.


Comente esta notícia