serpa
Tomé Pires, presidente da autarquia de Serpa, afirma que esta e outras iniciativas que decorrem no concelho, surgem porque o desenvolvimento de um território tem que ser feito com base em vários sectores e a cultura é naturalmente um deles.

Ainda segundo, Tomé Pires, em 2017, o Encontro de Culturas, volta a apresentar um cartaz "muito forte" com uma aposta clara em espectáculos de "qualidade".

Neste primeiro dia, há o espectáculo enRede "O homem que à terra canta"- Vozes, Violas e Guitarras, foi apresentado no encontro da enREDE- Rede Internacional de Municípios pela Cultura, em São João del-Rei, quando foi Capital Brasileira da Cultura, em 2007 e meses mais tarde em Serpa, no IV Encontro de Culturas. Passados 10 anos sobre a primeira apresentação, artistas brasileiros, portugueses e espanhóis voltam a dividir o mesmo palco, num espectáculo multicultural.

A cantora brasileira, Ana Carolina, actua, amanhã, 6ªfeira, depois, no sábado, é a vez do grupo "Os Azeitonas" e o encerramento, no domingo, é feito com António Zambujo.
O Festival realiza-se, no centro histórico, com os espectáculos principais a decorrer, a partir das 22.00 horas, na Praça da República, e o "fora de horas" no Espaço Nora. Por este local, vão passar, hoje, Kalakan e Luís Peixoto, na 6ªfeira, Moya Kalongo, no sábado, Coração Noir e no domingo, Maira Baldaia.

No sábado, no Castelo de Serpa, realiza-se ainda uma tarde de homenagem ao Cante-Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, como forma de assinalar o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Com a participação de vários grupos e ranchos corais do concelho, o espectáculo pretende ser simultaneamente uma homenagem ao cante e à língua portuguesa.

Comente esta notícia