“A afirmação nacional e internacional do cluster aeronáutico do Alentejo
“A afirmação nacional e internacional do cluster aeronáutico do Alentejo

Ana Elias de Freitas - 19/04/2017 - 00:00 - Imprimir


“A afirmação nacional e internacional do cluster aeronáutico do Alentejo


Foi assinado ontem, no Salão Nobre da Câmara de Beja, o Protocolo de Colaboração do Setor Aeronáutico do Alentejo. Um momento simbólico que significou “um dia marcante para a afirmação nacional e internacional do cluster aeronáutico do Alentejo" e “um passo decisivo para o desenvolvimento”.

Um protocolo que visa estabelecer formas de cooperação entre os seus signatários, no respeito pelos objetivos e identidade de cada um, acordando entre si promover iniciativas de desenvolvimento relacionadas com o setor aeronáutico na região Alentejo, de forma abrangente, inclusiva e geradora de valor acrescentado, alinhada com a especialização inteligente nacional e regional. E o documento foi assinado pela Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDR Alentejo), pela Federação Portuguesa das Indústrias Aeronáuticas Espaço e Defesa, pela Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL), pelos municípios de Beja, Évora e Ponte Sôr, pela Universidade de Évora, pelo Parque de Ciência e Tecnologia do Alentejo e pelas associações empresariais do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral, de Évora e de Portalegre.

João Rocha, o autarca de Beja, na qualidade de anfitrião e signatário do documento, frisou que a assinatura deste protocolo é um passo decisivo para o desenvolvimento, recordou a importância que tem o desbloqueamento, por parte do Governo, do investimento da AeroNeo no Aeroporto e relevou a coesão demonstrada por todas as entidades envolvidas, frisando que deixam uma marca na região.

Roberto Grilo, da CCDR Alentejo, fez questão de referir que a data de assinatura do protocolo significou um dia marcante para a afirmação nacional e internacional do cluster aeronáutico do Alentejo e disse ainda, que este passo tem enorme influência no futuro da região, na instalação de indústria, empresas e criação de emprego.

José Cordeiro, da Federação Portuguesa das Indústrias Aeronáuticas Espaço e Defesa, sublinhou que estão todas as condições criadas para a afirmação da indústria aeronáutica no Alentejo e explicou porquê.

Hortênsia Menino, da ADRAL, realçou a importância de se concertarem esforços conjuntos em prol do desenvolvimento da região, apostando na coesão.

Considera-se de máxima importância aproximar os territórios, definindo uma estratégia de complementaridade e especialização que potencie maior atratividade nacional e internacional para a instalação de novos projetos de investimento. A ligação Ponte de Sôr, Évora e Beja são um fator preponderante no desenvolvimento de um espaço privilegiado de desenvolvimento deste sector, deixa claro, igualmente, o documento assinado ontem, em Beja.

COMENTE ESTA NOTÍCIA