Professores em luta

A Federação Nacional da Educação (FNE) decidiu manter a greve dos professores marcada para hoje, quarta-feira, dia de exames nacionais, depois da reunião realizada ontem, no Ministério da Educação, dizendo que a mesma não correspondeu às expectativas da estrutura sindical. 

A FNE diz que foram feitas oito sugestões, que o Ministério só aceitou uma, rejeitando cinco e acolhendo parcialmente duas, factos que não conduziram a um acordo e por isso, a decisão de manter a greve.

A FENPROF, na reunião de ontem, também não chegou a um consenso com o Ministério da Educação e manteve a greve de professores agendada para hoje

Questões centrais para a FENPROF, como o descongelamento das carreiras, a vinculação e a aposentação dos docentes ficaram "sem resposta" por parte da tutela. Ainda segundo, a FENPROF, no que diz respeito à aposentação, propôs que o compromisso se ficasse pela criação de um grupo de trabalho que pudesse estudar o tema e eventualmente propor medidas, mas que nem isso a equipa de Brandão Rodrigues esteve disponível para aceitar.


Comente esta notícia