PCP

Apesar do avanço do IP2 e de terem sido anunciadas perspetivas positivas para o alargamento do regadio de Alqueva, a 2ª sessão legislativa foi assinalada pelos impasses de avanços em projetos importantes para o distrito de Beja que, conforme afirma o deputado João Ramos, são constrangimentos provocados não só pela União Europeia, mas também pelo próprio governo.

Para o futuro, o PCP pretende continuar a incidir nos âmbitos da valorização do trabalho e dos trabalhadores, continuando a repor rendimentos e direitos, não descurando da necessidade de se evidenciarem compromissos para investimentos, que João Ramos identificou.

Neste balanço foi, também, abordada a questão da intervenção nas escolas do distrito e, sobre esta matéria, João Ramos atribui responsabilidades ao Partido Social Democrata, que acusa de ter deixado de fazer aquilo que era necessário, na altura em que estava no Governo, ou seja investir nas escolas. O Executivo atual, disse também o deputado João Ramos, vai ter de explicar porque não falta dinheiro para salvar bancos e porque não chega para os investimentos na região, incluindo os que deveriam ser feitos no setor da educação.


Comente esta notícia