IMPLANTAÇÃO DA REPÚBLICA

Nos dias 4 e 5 de Outubro de 1910, alguns militares da Marinha e do Exército iniciaram uma revolta nas guarnições de Lisboa, com o objectivo de derrubar a Monarquia. Juntamente com os militares estiveram a Carbonária e as estruturas do Partido Republicano Português (PRP). Na tarde desse dia, José Relvas, em nome do Directório do PRP, proclamou a República à varanda da Câmara Municipal de Lisboa. No dia 6 o novo regime foi proclamado no Porto e, nos dias seguintes, no resto do País. Em Braga foi-o no dia 7, tendo tomado posse da Câmara o Dr. Manuel Monteiro.

Apesar do 5 de Outubro não ter sido uma verdadeira revolução popular, mas sobretudo um golpe de estado centrado em Lisboa, a nova situação acabou por ser aceite no País e poucos acreditaram na possibilidade de um regresso à Monarquia. Seguiu-se depois um período de democracia republicana, caracterizada por uma forte instabilidade política, conflitos com a Igreja, mas também de grandes progressos na educação pública, recordou, igualmente, João honrado.

A chamada I República Portuguesa terminou em 1926, com o golpe de 28 de Maio, a que se seguiram muitos anos de ditadura. 


Comente esta notícia