Terras sem Sombra 2

"Aproximando o Distante: Tradição e Vanguarda na Música Europeia (Séculos XVI-XXI)" é o mote desta 14.ª edição cuja programação presta especial atenção ao facto de que se comemora em 2018, o Ano Internacional do Património Cultural, efeméride a cujo programa oficial o Terras sem Sombra se associa, a convite do Ministério da Cultura.

Nesta viagem ao conhecimento através da música, a Hungria assume um papel, como protagonista, na atual edição de Terras sem Sombra e, também, do Grupo de Visegrád, formado pela Hungria, pela Polónia, pela República Checa e pela Eslováquia. São também convidados, em 2018, os Estados Unidos da América e Espanha.

Este ano, o número de concertos aumenta, pela primeira vez, para dez, com a incorporação de novos concelhos, como Barrancos ou Elvas, e o regresso a outros onde a presença do Terras sem Sombra era há muito reclamada, como Mértola e Vidigueira. Assim, os municípios visitados pelo festival este ano são Vidigueira, Sines, Santiago do Cacém, Ferreira do Alentejo, Odemira, Serpa, Mértola, Barrancos, Elvas e Beja, de 17 de Fevereiro a 8 de Julho.

A partir de 2018 concretiza-se, igualmente, uma coprodução anual, com a Universidade Autónoma de Madrid, a apresentar, simultaneamente, no auditório nacional de Madrid e no Alentejo, como resultado do protocolo assinado pelo festival com a instituição espanhola. 


Comente esta notícia