Regadio

Nos últimos tempos tem havido um aumento de furtos nas explorações agrícolas do distrito de Beja. Os pivots de rega e os postos de transformação, por causa do cobre, são os equipamentos mais apetecíveis para os "larápios" mas há outros equipamentos a "desaparecer".

Ainda recentemente um agricultor no concelho de Cuba foi alvo de assalto, as queixas sucedem-se, mas as lamentações também devido à falta de resposta por parte das autoridades. Neste caso de Cuba, o agricultor nem conseguiu apresentar queixa assim que detectou o furto porque, no Posto da GNR, só estaria alguém a partir das 14.00 horas.

Francisco Palma, presidente da Associação de Agricultores do Baixo Alentejo, afirma que é uma situação complicada que acarreta prejuízos avultados.

Ainda segundo Francisco Palma com o regadio de Alqueva a situação agravou-se porque as explorações têm mais equipamentos.

Por parte das autoridades, Francisco Palma, admite que não se pode esperar muito, a região tem uma área geográfica muito grande, existem muitas explorações e há cada vez menos postos da GNR. Segundo Francisco Palma, é fundamental melhorar as comunicações porque em muitas explorações não há acesso à rede móvel, por isso, é muito difícil colocar alarmes nesses locais.


Comente esta notícia

É na verdade uma preocupação. Mas em vez de alarmes que apenas servem para justificar aos seguros, aqueles que os têm. Num país, e numa região com tanto desemprego, porque em vez de alarmes de fiabilidade muito duvidosa, começando pelas suas campanhas de promoção. Não será mais eficaz a promoção da figura do guarda da propriedade como sempre existiu no passado até ás epidemias de cercados de arames farpados, com todas as maiores valias dai advindas?

António Mendes

30/11/-0001