Luís Dargent

Para Luís Dargent, as alterações autárquicas em Beja não trouxeram nenhum ganho nem para a cidade, nem para a região. O presidente da Distrital de Beja do CDS-PP considera mesmo, que falta à região dar o salto por falta de massa crítica de cidadãos e governantes.

Na opinião de Luís Dargent, o tempo agora deve ser de apoiar quem produz porque as pessoas estão fartas de pagar impostos e de não ver qualquer recompensa. Reportando-se à esfera nacional, Luís Dargent diz que apesar de se ter sentido algumas recuperações nos salários, reformas e pensões isso não se repercutiu efetivamente na qualidade de vida das pessoas e que por isso mesmo, se está a assistir a uma onda de contestação, com juízes, funcionários judiciais, enfermeiros, professores e outros setores descontentes. Factos que para o presidente da Distrital de Beja do CDS-PP significa terminar 2018 com sensação de fracasso.

Para 2019, as perspetivas de Luís Dargent, também, não são boas e explica porquê, frisando que se poderá estar à beira de mais uma bancarrota.

Luís Dargent espera, ainda, que no próximo ano Mário Centeno, líder do BCE ganhe ao ministro das Finanças de Portugal, dizendo que no caso disto não acontecer teme que aconteça o pior.

Hoje ouvimos a Distrital de Beja do CDS-PP. Amanhã damos voz a Alberto Matos, da Coordenadora Distrital do BE.


Comente esta notícia