NILZA DE SENA

A deputada do PSD faz um balanço negativo de 2018 no que se refere à região, frisando que continua sem comboios dignos e sem a A26 aberta ao transito. Na opinião de Nilza de Sena, “no campo das acessibilidades este foi um ano de total vazio”.

A saúde também mereceu uma nota negativa. Neste setor, Nilza de Sena recordou que numa região de população “muito envelhecida” é inadmissível existirem milhares de pessoas sem médico de família e disse esperar que 2019 traga os investimentos tão aguardados, e necessários, neste setor.

A deputada do PSD, eleita pelo distrito, diz, ainda, que olha para o futuro, falando já de 2019, sem vislumbrar uma solução para as questões fundamentais da região. A importância que os movimentos cívicos têm tido na divulgação, e reivindicação, das necessidades do território não foi esquecida por Nilza de Sena, referindo que tem dado, sempre que pode, voz aos mesmos.

Nilza de Sena afirma mesmo, que há três anos que se esperam mudanças e que as mesmas não se têm verifica e por isso, diz esperar que 2019, ano de eleições, traga a “necessária” mudança no equilíbrio das forças políticas.

Na Voz da Planície já fizeram o balanço de 2018, e perspetivaram 2019, os deputados Pedro do Carmo, do PS e Nilza de Sena, do PSD. Amanhã damos voz ao deputado do PCP, eleito por Beja, João Dias.


Comente esta notícia