João Ramos-Parlamento

Depois da ministra da Agricultura, ter afirmado, perante uma pergunta do PCP, que o financiamento para a conclusão da rede secundária de Alqueva não está assegurado, o deputado João Ramos, do PCP, voltou a questionar o Governo e o secretário de Estado da Agricultura, sobre o Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020, face à falta de garantia de aceitação da proposta de financiamento da rede secundária de rega pelo Fundo de Coesão, o PCP quis saber se o Governo tem um plano alternativo para o financiamento, caso a Comissão Europeia, que tem receios em abrir precedentes, não aceite esta proposta.

O secretário de Estado referiu que não existe da parte do Governo qualquer plano alternativo, mas que tem confiança na solução proposta, que é a melhor e que por isto há que esperar que tenha sucesso. As declarações são do deputado do PCP, João Ramos, que se manifesta preocupado com esta posição que não se traduz em quaisquer garantias.

João Ramos disse também, que o PCP entende que têm de existir condições para garantir o financiamento e que não haver alternativa a uma proposta incerta é colocar em risco a conclusão do projecto. Acrescentou ainda, que no distrito de Beja, as infraestruturas estruturantes por concluir são demasiadas e que não se pretende que Alqueva seja mais uma.

João Ramos esteve também, esta semana no concelho de Moura e fez contactos como Lar S. Francisco, da Santa Casa da Misericórdia, com o director do Centro de Emprego e o Núcleo Experimental dos Lameirões/ Herdade dos Lameirões, em Safara. No balanço deixou a indicação de que as questões sociais identificadas no Lar prendem-se sobretudo, com as dificuldades de estabelecer acordos com a Segurança Social e que no caso do Centro de Emprego, os programas têm dado alguma resposta, mas não a suficiente.

Apesar de ter constatado que no sector da agricultura há cada vez menos procura de mão-de-obra, verificou nos Lameirões, uma herdade do Estado, que a sua presença no concelho de Moura e o apoio que dá na área da experimentação é fundamental para quem trabalha a terra.


Comente esta notícia