Ovibeja 2018

documento subscrito pela ACOS – Agricultores do Sul, pelo NERBE/AEBAL, pelo IPBeja, pela CIMBAL e pela Associação Comercial identifica um conjunto de debilidades com o qual a região se depara há anos, principalmente no que diz respeito às acessibilidades.

Naquele documento é referido que não se percebe porque tarda a  conclusão do IP8 e o que falta, na requalificação deste itinerário; porque é que a extensão da A2, até Malhada Velha, concluída há vários meses continua sem abrir ao público e porque é que não avança a eletrificação da linha férrea Beja/Casa Branca.

Marcelo Rebelo de Sousa foi o primeiro a visitar o certame e a receber a carta aberta. O presidente da República referiu, em entrevista exclusiva à Voz da Planície, que Beja precisa de reivindicar mais.

O primeiro-ministro, António Costa, foi o ausente mais presente e o facto, de ter sido o único que não esteve no certame causou “algum desconforto” entre as hostes socialistas. Por sua vez, Capoulas Santos, o ministro da Agricultura, acompanhou a feira e ouviu as preocupações dos responsáveis da região. Capoulas Santos revelou, em exclusivo à Voz da Planície, que vai ser o porta-voz destas reivindicações junto do Governo.

Foram muitos os decisores políticos que visitaram o certame e todos levaram um exemplar da Carta Aberta. Todos os líderes políticos se mostraram solidários com as reivindicações identificadas no documento.

O presidente do PSD, Rui Rio, referiu que Beja tem de ter acessos de 1ª qualidade como as restantes capitais de distrito do país.

Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, frisou que a luta por acessibilidades condignas na região também tem sido uma bandeira do PCP.

Catarina Martins, coordenadora nacional do BE, disse que as ligações rodoviária e ferroviária têm sido promessas sucessivamente adiadas.

José Luís Ferreira, deputado do Partido Ecologista “Os Verdes”, mostrou-se indignado com o facto, da linha férrea Beja/Casa Branca não estar eletrificada, nem inaugurado o IP8.

Os três deputados, eleitos pelo distrito, foram, igualmente, questionados sobre esta matéria.

O deputado do PS, Pedro do Carmo, referiu que além da questão da eletrificação férrea e da ligação à autoestrada, “há muito mais em todo o distrito” para resolver, nomeadamente, um “conjunto de estradas nacionais”, que se encontram “em muito mau estado de conservação”.

João Dias, o deputado do PCP, frisou que são pretensões justas, mas recordou que questionou o Governo sobre a eletrificação da linha férrea Beja/Casa Branca e a rodovia e que ficou claro na resposta que os investimentos não estão assegurados.

Nilza de Sena afirmou que se junta a esta voz. A deputada do PSD disse mesmo que esta tem sido uma reivindicação permanente durante o seu mandato na Assembleia da República e considera que esta região, a nível das acessibilidades, está colocada de parte.

 

 

 

 

 


Comente esta notícia