marcelo rebelo sousa

No fecho de mais uma edição da Ovibeja, Rui Garrido, presidente da ACOS – Agricultores do Sul, fez um balanço "muito positivo" do certame que, de acordo com as suas palavras, ultrapassou o número de visitantes de 2018. Em 2019, segundo Rui Garrido, foi apresentada uma feira organizada, atrativa para as pessoas e com um espaço novo, o ACOS+, que se mostrou um sucesso e que vai ser replicado na feira nacional de agricultura.

A Ovibeja é sempre o palco escolhido por diversos decisores políticos, nacionais e locais e este ano, a 36ª edição, não foi exceção. Na Ovibeja 2019 só não esteve o primeiro-ministro, António Costa.

Marcelo Rebelo de Sousa inaugurou a feira e sobre o certame disse que coloca Beja no mapa, pela projeção que tem, nacional e internacional.

António Costa voltou a não marcar presença na Ovibeja, pelo segundo ano consecutivo. Do Governo esteve no certame Capoulas Santos, ministro da Agricultura. O governante tem acompanhado num “misto” de surpresa e alguma indignação aquilo que considera ser uma campanha sistemática contra o regadio e o Alqueva. O ministro da Agricultura deixou a garantia que o Ministério que tutela está disponível para “este debate”, mas numa base “séria e fundamentada” e não na base do “alarmismo e do aproveitamento político”. 

Do Partido Socialista marcaram presença, Ana Catarina Mendes, secretária-Adjunta do PS e Pedro Marques, líder da lista socialista ao Parlamento Europeu.

Quem, também, esteve no certame foi o Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, que se congratulou pelo tema central desta Ovibeja. Carlos Moedas afirmou que as alterações climáticas são o grande desafio dos próximos 10 anos para a classe política e para as pessoas.

Na sua visita à grande feira do Sul, o líder do PSD, Rui Rio considerou que o tema central da Ovibeja, as alterações climáticas, é importante para nos deixar “alertas” e “ativos” perante esta realidade.

Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, na sua passagem pelo certame deixou palavras de apreço à Ovibeja e mostrou-se preocupado com as questões das culturas intensivas.

Catarina Martins, coordenadora nacional do BE, falou da importância, no que se refere às monoculturas, de se ter um desenvolvimento equilibrado, com padrões de saúde pública aceitáveis.

Assunção Cristas, presidente do CDS-PP, referiu que na Ovibeja percebeu aquilo que tem sido a aposta em expandir a feira ano após ano, assim como as preocupações cada vez maiores entre o que é o mundo rural e a agricultura.

Santana Lopes, presidente do Partido Aliança, deixou claro que a Ovibeja é um exemplo para o país.



Comente esta notícia

Galeria de fotos