Telo Faria

Para comemorar aquela data participam em Beja, na reunião regional, com início marcado para as 09.00 horas, os quatro conselhos de administração das quatro Regiões de Saúde do Alentejo e profissionais da saúde, destas regiões, que trabalham nesta área.

O médico Telo Faria, o coordenador da Região Alentejo do Programa VIH/Sida, explicou os objetivos desta reunião regional e identificou quem nela participa.

O Dia Mundial de Luta Contra a Sida comemorou-se ontem e em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) comemora este dia, através do Programa Nacional para a Infeção VIH/Sida, no seguimento da proposta efetuada em 1988 pela Organização Mundial da Saúde.

Numa altura como esta é preciso lembrar que há valores que ainda são preocupantes, que há grupos mais vulneráveis e que os diagnósticos continuam a ser tardios, frisou também, o médico Telo Faria.

Prevenir e fazer o diagnóstico precoce são as duas principais mensagens que devem passar, numa altura como esta, ou seja quando os dados referentes ao VIH/Sida voltam a estar na ordem do dia, relevou, igualmente, o médico Telo Faria.

Portugal foi um dos seis países da União Europeia (UE) que, em dez anos, conseguiu reduzir em mais de 25% o número de novas infeções por VIH (vírus da imunodeficiência humana), de acordo com o relatório conjunto do European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) e da Organização Mundial de Saúde - Europa, recentemente divulgado.

De igual modo, o relatório "Portugal: Infeção VIH, Sida e Tuberculose em números - 2015", referente ao ano de 2014 e divulgado, pela DGS, no dia 20 de novembro, revela uma proporção de novos casos em utilizadores de drogas injetadas inferior à média observada na UE e uma proporção de diagnósticos tardios já muito próxima da média observada neste conjunto de países.


Comente esta notícia