finanças Beja

Rui Teixeira, do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, revelou à Voz da Planície a percentagem de adesão à greve no distrito, dizendo que a mesma não é de 100 por cento, porque se apresentaram ao serviço dois colegas, um na repartição de Ferreira do Alentejo e outro na de Odemira, situação que levou à abertura ao público destes dois espaços. O sindicalista prevê que os mais de 95 por cento de adesão se mantenham amanhã e segunda-feira, no que se refere ao distrito, podendo mesmo aumentar.

Com esta greve de três dias, o objectivo é fechar todos os serviços de finanças e alfândegas do País e levar o Governo a ouvir as reivindicações dos trabalhadores, na medida em que até à data, tanto ministra como secretário de Estado têm-se recusado a receber o Sindicato, apesar dos sucessivos pedidos, efectuados desde Fevereiro deste ano. As declarações são de Rui Teixeira, do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, que acrescentou que no distrito de Beja, a intenção é encerrar, nestes três dias de greve, todos os serviços de finanças.

Nesta quinta-feira, os trabalhadores dos impostos rumam a Lisboa, para participarem numa concentração junto ao Ministério das Finanças e entregar um documento ao Governo com as suas reivindicações. As palavras são também de Rui Teixeira.

Recorde-se que esta semana foi realizada, em Vidigueira, uma concentração contra o encerramento dos serviços de finanças no distrito e que a intenção do Governo é encerrar 10, das 14 existentes, deixando apenas as de Beja e Odemira.


Comente esta notícia