COVID 19

Dois especialistas de saúde pública foram admitidos, no âmbito da mobilidade, em concursos na área da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e querem seguir as suas carreiras fora de Beja e a interna que integra o serviço deixa de ter tutor e terá de ser encaminhada para outro serviço. Esta é a situação que a ULSBA está a enfrentar e que está a fazer de tudo para contrariar. A Voz da Planície sabe que foi pedido ao Ministério da Saúde que envie profissionais para substituir os que pretendem sair ou que se suspenda a sua saída até existir uma solução. É preciso dizer, também, que caso exista um interregno há como garantir quem desempenhe estas tarefas, mas não sem sobrecarregar profissionais que fazem falta nos seus serviços e que têm de ser encaminhados para este, que exige desempenho a tempo inteiro.


Comente esta notícia