SÍMBOLO DA ACOS AGRICULTORES DO SUL

Esta plataforma tem como principais objetivos "ganhar escala, garantir a segurança comercial e a continuidade da ovinicultura, bem como contribuir para as exportações", refere a nota de imprensa.

Com um período experimental de um ano, o projeto desenvolvido em parceria com a cooperativa espanhola, OVIPORO, e com o EA Group, pretende "organizar e desenvolver a ovinicultura do sudoeste peninsular, promovendo a evolução técnica e sanitária das explorações em perfeita harmonia com o meio onde se inserem e estabelecer preços à produção de forma objetiva".

Segundo a direção da ACOS, o êxito deste serviço será concretizado "através de uma atuação consertada entre os produtores e de um elevado sentido de compromisso", implicando "algumas melhorias técnicas na produção dos animais, de forma a alcançar um padrão de qualidade e homogeneidade da carne de borrego".

Acrescentar valor, reduzir custos de produção, aumentar a qualidade, garantir a segurança alimentar dos consumidores e promover o consumo de carne de borrego de qualidade superior são as metas a atingir com este projeto, que pretende também "permitir a viabilidade económica das exportações de ovinos", assim como a sua permanência nos territórios onde se inserem.

A médio prazo, a ACOS pretende criar "uma unidade de concentração e acabamento de borregos em território nacional e alargar o projeto à comercialização de caprinos, bovinos e suínos".


Comente esta notícia