tosquia

Com uma dotação de cerca de 80 mil euros, o Fundo de Apoio à Organização do Sector da Lã, foi constituído em 1998 com o objectivo de apoiar os criadores de ovinos nas operações de tosquia, concentração da lã e leilões destinados à venda do produto. Comparticipado pelo Estado, o Fundo funciona mediante a concessão de adiantamentos do valor a receber com a venda da lã, a restituir após a venda.

Segundo um comunicado do ministério da Agricultura, “desde que foi constituído o Fundo de Apoio à Organização do Sector da Lã, a sua gestão competia à Federação das Associações de Produtores de Ovinos e Caprinos (FAPOC), entidade que não apresenta registo do desenvolvimento de qualquer actividade há anos, estando o Fundo inactivo há pelo menos 10 anos, sem qualquer utilização” justificando assim a sua decisão com o facto de a ACOS “continuar a promover anualmente campanhas de tosquias, concentração e venda de lã”.

Assinado pelo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e pelo Ministro das Finanças, o despacho determina que a ACOS submeta à Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, até 30 de Abril de cada ano, um plano de actividades respeitante às operações de tosquia, concentração de lã e leilões destinados à venda do produto. O despacho estipula igualmente que o Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas, proceda ao controlo das verbas que constituem o Fundo.



Comente esta notícia