Aeroporto Beja

O Governo já entregou à ANA a construção de novo aeroporto no Montijo, mesmo sem Plano de Impacto Ambiental. O acordo foi assinado ontem. Esta decisão define a localização do novo aeroporto do país e a realização de obras no da Portela, deixando claro que “não há” outras soluções. O aeroporto de Beja foi mencionado, por muitos, como alternativa à Portela, e não só, mas ficou de fora. Recorde-se que o investigador da Universidade do Algarve Manuel Tão, que colabora com a Plataforma Alentejo, defende que “o aeroporto de Beja pode ser complementar aos de Lisboa e Faro e servir a capital, Setúbal, Algarve e a Extremadura espanhola, com transporte ferroviário que coloque passageiros nestas regiões até 90 minutos”.

É preciso lembrar, igualmente, que 30 milhões de euros é o valor que a empresa Mesa garantiu, no final do ano passado, em dezembro, que vai investir na construção de um hangar para manutenção de aviões no aeroporto de Beja, numa notícia avançada pelo “Notícias ao Minuto”, citando a Lusa e revelando que as obras começariam no 1º trimestre deste ano, que são para durar 18 meses, devendo o hangar começar a funcionar no 3º trimestre de 2019.

A verdade é que 33 milhões de euros e sete anos depois, o aeroporto de Beja só tem a perspetiva de investimento da Mesa, para este ano, em cima da mesa e desconhece se o Plano Nacional de Investimentos (2030) contempla, ou não, algum montante para o desenvolvimento desta infraestrutura aeroportuária. O documento vai amanhã, quinta-feira, a Conselho de Ministros e António Costa quer que o mesmo seja aprovado, no Parlamento, pelo menos por 2/3 dos deputados.


Comente esta notícia