NELSON BRITO

Em finais de 2009, a autarquia encontrava-se condicionada pelo endividamento, situação que se agravou com a chegada da crise, que limitou muitíssimo a atividade da edilidade. Ainda assim, foi possível fazer um trabalho eficaz ao nível da sustentabilidade financeira, que se refletiu na diminuição dos valores globais do Orçamento Municipal, que em 2010 era de 17 milhões 177 mil de euros e em 2016 é de 11 milhões 747 mil euros, refere, igualmente, o Município de Aljustrel.

Também o endividamento da autarquia tem vindo a diminuir de forma sólida e sustentada. No final de 2009, a dívida orçamentada era de 10 milhões 800 mil euros. No final de 2015, este valor era de 8 milhões 303 mil euros. Trata-se de uma diminuição de 2 milhão 497 mil euros da dívida.

De acordo com Nelson Brito, presidente da Câmara de Aljustrel, só foi possível reduzir a dívida devido ao rigor financeiro que este Executivo tem feito ao nível da gestão do Município.

Nelson Brito acrescentou que se a este valor de redução da dívida, já de si muito relevante, forem subtraídos os 397 mil euros correspondentes ao FAM - Fundo de Apoio Municipal, compromisso que o Estado obrigou as autarquias a contrair no âmbito de um programa de resgate a outros municípios em má situação financeira, a dívida seria de 7 milhões 906 mil euros. Considerando o contexto muito desfavorável em que as autarquias operaram nos últimos anos, este desempenho ao nível da redução da dívida é muito positivo.

Também ao nível dos pagamentos em atraso a performance do Município de Aljustrel melhorou. A 31 de março de 2012 a autarquia registava 2 milhões 485 mil euros de dívidas vencidas há mais de 90 dias. A 31 de dezembro de 2015, esse valor era de 165 mil euros de pagamentos em atraso.

Em relação à execução das verbas do Quadro de Referencia Estratégico Nacional, a autarquia está satisfeita, visto que executou mais de 10 milhões de euros em projetos referentes a este programa, que encerrou em 2013. Já em relação ao atual quadro comunitário, o Portugal 2020, que principiou formalmente em janeiro de 2013, ou seja, há mais de dois anos, a autarquia diz estar muito expectante.


Comente esta notícia