Regadio

O impacto das alterações climáticas no desenvolvimento da agricultura é o mote da conferência a realizar hoje, a partir das 14h30, nas instalações da EDIA.

Um dos desafios que se coloca à exploração de Alqueva é o impacto das alterações climáticas na sua área de influência. De que forma é possível quantificar esse impacto com o desenvolvimento de uma agricultura sustentável de regadio é a equação a que é preciso dar resposta. Sobre esta temática, João Basto, presidente do Conselho de Administração da EDIA, referiu à Voz da Planície que o projecto de Alqueva representa um grande valor ambiental. 

Tendo em conta as preocupações ambientais da EDIA e os efeitos de Alqueva para a criação de uma barreira verde, o projecto foi selecionado para caso de estudo da ONU como exemplo de um instrumento de combate à desertificação e às alterações climáticas. As declarações são de João Basto, prestadas numa entrevista à nossa estação sobre Alqueva para um programa que lançaremos brevemente na Voz da Planície. 

Na conferência, promovida pela EDIA, vão participar João Basto com uma abordagem das questões da sustentabilidade em Alqueva e os compromissos da EDIA neste domínio. Sobre os desafios e os riscos presentes e futuros das alterações climáticas vai falar Filipe Santos, professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. E a agricultura e as alterações climáticas vão ser abordadas por José Lima Santos, professor do Instituto Superior de Agronomia.

Recordamos que, dos 120 mil hectares previstos, numa primeira fase, para o empreendimento de Alqueva, neste momento estão já em exploração cerca de 68 mil.


Comente esta notícia