Alqueva boia

A EDIA começa por afirmar que “algumas das bóias de navegação instaladas na albufeira de Alqueva têm vindo a ser vandalizadas, e alvo de usos indevidos, por vezes soltando-as da sua amarra, fazendo-as derivar pela superfície da albufeira.”

Prossegue recordando que “as bóias de sinalização servem para facilitar a navegação à vista no espelho de água, nunca devendo, por isso, servir para, entre outros usos, amarração de embarcações ou artes de pesca”. Assim perante esta situação, a EDIA “decidiu criar um mapa com a localização original de todas as bóias e eixos de navegação, acessível no Google Maps através do link https://tinyurl.com/alquevanav para consulta a partir de qualquer dispositivo com ligação web, incluindo o telemóvel”:

Para além desta aplicação a EDIA está a trabalhar numa outra, mais completa onde, através de um telemóvel, não só terá a indicação da localização desta sinalética de navegação, como terá também informação da cota da albufeira em tempo real, e a localização e informação de pontos de interesse, submersos ou nas margens, entre outras funcionalidades.

No comunicado a EDIA informa ainda que, no final do mês de Julho de 2019 a albufeira de Alqueva encontra-se em torno da cota 146, 16 metros acima do seu nível mínimo de exploração, armazenando um volume a rondar os 3 mil hectómetros cúbicos de água.





Comente esta notícia