Escola Profissional de Moura

Carga horária muito exigente; centenas de horas de estágio; desvalorização da formação teórica e por vezes falta de condições para a formação mais prática; limitações à participação na vida democrática da escola seja em associações de estudantes, reuniões gerais de alunos ou outras atividades estudantis; regime de faltas e de reposição de aulas e módulos injusto são alguns dos problemas mais prementes que dizem enfrentar e aos quais se junta a falta de transportes que os estudantes que moram na zona de Pias têm para vir para a escola.

No terceiro período, informam, foi cancelado o transporte que trazia os estudantes de Pias para a Escola Profissional de Moura, devido a esse cancelamento foi financiado aos estudantes um subsidio para o passe escolar.

Neste contexto, os alunos da Escola Profissional de Moura - COMOIPREL exigem uma rede de transportes rodoviários que venha a suprimir as necessidades dos estudantes; um regime de faltas justo que garanta o direito a férias letivas; o fim da reposição de aulas e módulos; redução da carga horária; mais financiamento para a Escola Profissional de Moura e o pagamento antecipado do subsidio do passe para todos, assim como o pagamento antecipado dos custo de frequência de estagio. 


Comente esta notícia