NOTAS DE EURO CONTAGEM

Nos primeiros dias de janeiro, os consumidores vão dar-se conta do aumento generalizado dos preços, muitos dos aumentos já são conhecidos, com exceção do que se vai passar nas telecomunicações, porque as operadoras ainda não comunicaram oficialmente as resoluções de ano novo. Mesmo assim, a Vodafone revela que não vai haver aumentos. A NOS e a NOWO não comentaram e a MEO deixou em aberto essa possibilidade.

Vamos saber então, o que aumenta em 2018:

A renda da casa sobe 1,12%, a partir de 1 de janeiro e este é o maior aumento dos últimos cinco anos.

Comprar casa também fica mais caro em 2018, em 5%, porque o preço das habitações vai voltar a subir, à semelhança do que já aconteceu este ano.

Em janeiro aumenta, igualmente, o preço dos automóveis novos. O Orçamento do Estado para 2018 estipula um aumento de 1,4% tanto para o imposto sobre veículos (ISV), que incide sobre o ato da compra, como para o imposto único de circulação (IUC), que é pago todos os anos. Abastecer também vai sair mais caro 1,4%.

Andar de transportes vai sair mais caro, podendo a subida ultrapassar os 2,5%, assim como andar nas autoestradas, porque as portagens vão aumentar.

O preço do pão sobe 20%, recorde-se que desde 2011 que o preço do pão não mexe. Também o azeite vai chegar mais caro à mesa dos portugueses e o aumento não vai ser meigo, deverá rondar os 30%.

Depois de já ter disparado quase 60% nos últimos dois meses, o preço dos ovos deverá continuar a subir, até aos dois euros por meia dúzia, em 2018.

O OE 2018 ditou uma subida de 1,5% do imposto sobre o álcool e bebidas alcoólicas (IABA), que inclui cerveja, bebidas fermentadas, espumantes, bebidas espirituosas e vinhos licorosos.

também o preço do maço de tabaco deverá sofrer o já habitual aumento. Que em 2018 deverá rondar os 10 cêntimos em certas marcas. 


Comente esta notícia