Rebanho

Coordenado pela Universidade de Córdoba, participam neste projecto entidades portuguesas, espanholas e francesas, com o objectivo de implementar e demonstrar tecnologias inovadoras na produção pecuária, adaptadas aos efeitos que se preveem no sul da Europa devido às alterações climáticas. Estão incluídos sistemas optimizados de recolha de água e melhor gestão de gado através do uso de tecnologias de informação, melhoramento de pastagens e optimização dos processos produtivos.

Também serão definidos modelos de negócios actualizados e inovadores para a produção que resulta da pecuária extensiva, adaptada aos cenários climáticos futuros.

O LIFE LiveAdapt tem um orçamento de mais de dois milhões de euros, é co-financiado pelo Programa LIFE17 de Adaptação às Alterações Climáticas da União Europeia e tem como parceiros a ADPM-Associação para a Defesa do Património de Mértola, a QUERCUS-Associação Nacional de Conservação da Natureza, o Instituto de l’Elevage de France, a Fundação Entre Tantos, a SMARDEHESA SL, a GESTIONA GLOBAL, a Agronatura Florestal e Agrária e a FEDEHESA.

Segundo a ADPM as mudanças climáticas estão a ter um impacto negativo na indústria agrícola e pecuária, particularmente no sul da Europa, provocando por um lado escassez e deterioração da qualidade da água e das pastagens, por outro a erosão dos solos devido a situações de chuvas torrenciais e alterações nos padrões de pragas e doenças Para fazer frente a este processo, foi lançado este novo projecto LIFE LiveAdapt-Adaptação às Mudanças Climáticas dos Modelos de Produção Pecuária Extensiva na Europa.



Comente esta notícia

Galeria de fotos