Mário Simões

As declarações das distritais em causa surgiram na sequência da polémica à volta da carreira contributiva de Pedro Passos Coelho referentes aos atrasos no pagamento de contribuições à Segurança Social e entrega "fora de prazo" de declarações de IRS.

Em declarações à Voz da Planície, Mário Simões referiu que esta reação da Distrital do PSD não significa sair em defesa de Pedro Passos Coelho, mas sim uma forma de afirmar que há "um conjunto de moralistas no país que atacam um cidadão que teve um incumprimento, pelas razões que assumiu e esclareceu, mas que nada deve ao Estado, esquecendo-se de outras situações bem graves e embaraçosas, de corrupção".

Mário Simões levantou também, nas declarações que prestou à nossa estações, algumas questões relacionadas com comportamentos e resultados que considera estarem "mal explicados" e que têm sido praticados e obtidos por figuras bem conhecidas do PS.

Mário Simões terminou frisando que "atiram pedras os que não têm moral para o fazer" e que "isto não é um caso político".


Comente esta notícia